quinta-feira, 1 de abril de 2010

Não sei a razão


Hoje, agora, sinto falta do nosso amor. Não sei porquê, mas as saudades agora parecem ser mais que muitas. Sei que já não amo nem sou amada, mas hoje por apenas alguns segundos, queria voltar a sentir aquela sensação de ser amada. Por ti. Porque vais ser sempre o meu ponto de referência. A minha comparação. Porque como nós não há igual. Há somente outros.
E hoje, lembrei-me de ti como já não lembrava há muito e quis encontrar-te num dos corredores onde sabia que ias sempre estar. E queria olhar para os teus olhos e ver aquele brilho, aquela felicidade. Que sei que agora não existe, porque vejo os teus olhos baços. Já não há alegria nem motivo para viver, porque perdeste o teu rumo. Encontra-te, por mim.
Sinto que estás longe. Hoje estás ainda mais longe. E é isso que quero, que preciso. Para sentir paz. E amor. Porque sei que todo o que te dei, vai-me ser retribuído, novamente, a multiplicar. Só preciso de esperar. E ter esperança. Sonhos e vida dentro de mim.

1 comentário:

S. disse...

Esse texto com esta música de fundo arrepia-me!