terça-feira, 16 de novembro de 2010

Não sou de meias palavras


Falo muito, penso muito. E digo sempre (quase sempre) aquilo que tenha a dizer, seja o certo ou o errado porque acredito que as coisas só se resolvem assim - a falar. Não gosto dos que deixam para depois e muito menos daqueles que não têm coragem para o fazer. São burros, ao não perceberem que não acabam por ganhar nada (ao evitar discussões, conversas difíceis, etc), só perdem. E muito.

1 comentário:

C disse...

Concordo contigo, houve uma altura que eu era assim, mas depois percebi que não valia a pena e para se resolver o quer que fosse tinha que haver conversa.