sábado, 4 de dezembro de 2010

Nikita

Foi há seis anos que a vi pela primeira vez, numa caixinha, naquela cozinha, que já não existe, dos meus avós. Lembro-me bem daquele sábado, de ter ido buscar o meu irmão à natação e depois, a pedido dos meus avós, ter ido com eles a casa antes de voltar para a minha, para a festa, e de chegar lá e  haver aquela surpresa para mim. Uma coelha, pequenina, toda branca e com os olhos muito vermelhos. Não sei o porquê mas o nome que me veio logo à cabeça foi Nikita e assim ficou, segundos depois de a conhecer já estava baptizada. Não a larguei no o caminho para casa, e lembro-me tão bem, de estar a sair do carro e virem a correr a Patrícia, a Sara e a Tânia, que já sabiam da surpresa, ansiosas por ver aquela bolinha de pêlo que eu trazia nas mãos. E depois lá subimos nós todas eufóricas e eu fui colocá-la na gaiola, com o seu companheiro, que já cá estava há dois dias pois tinha sido a prenda de anos do meu irmão, e assim foi o primeiro dia dela cá em casa: um dia de festa e muita confusão. Meia dúzia de anos passaram e ainda está cá, agora sozinha, mas com uma gaiola grande só para ela. E apesar de não lhe dar comida muitas vezes, de me esquecer dela na varanda nas noites de Verão, de não saber como é que ainda não morreu à sede, de ter medo de lhe cortar o pêlo e as unhas, gosto dela. Gosto muito dela.

3 comentários:

susana disse...

se já não tivesse dedicado um fim-de-semana a isso, era sempre bem-vindo trocarmos, ao menos não tem de se pensar tanto :p

Tânia Gil disse...

Essa Tânia sou eu ? :)

Tânia Gil disse...

Eu lembro de ir aos teus aniversários claro, e aos do teu irmão também :) mas da situação da Nikita em particular, acho que não me recordo :$