quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Recordo-me


Perfeitamente do momento em que me apaixonei pela primeira vez, - daquele clique - o momento que fez o meu mundo girar, mudar por completo. Por outro lado, não me lembro de me "desapaixonar", foi com o tempo, com a degradação do sentimento, sei lá eu. [a única coisa que sei, é que estou mais que agradecida por esse tal sentimento ter desaparecido]. Todos estes pensamentos e recordações passaram por mim agora, ao pensar, no tudo e nada que me tem acontecido. Muito mais do que aquilo que vivi com o meu primeiro amor, mais intenso, mais importante e, atrevo-me a dizer, se calhar, mais seguro, por nunca ter havido um clique. Por isso, sim, é que me sinto verdadeiramente agradecida. Até podem dizer que eu sou uma insensível, que eu respondo que sou um muro. Um muro de pedra que se voltou a abrir aos bocadinhos, mas que não vou deixar que se derrube. Não desta vez.

4 comentários:

susana disse...

Admiro as pessoas que sobrevivem de amores como o primeiro, que se levantam e que ganham forças. É difícil, mas é de louvar, essa atitude - nem que seja uma atitude cheia de muros que se abrem aos bocadinhos. ;)

susana disse...

Se já para o primeiro demorei a entregar-me, então imagino a dificuldade que foi entregares-te a um novo amor. Mas aí é que se vê, a capacidade de largar tudo e tomar a coragem de sair da zona de conforto :)

susana disse...

Como muito boa gente me ensinou: win some or learn some :)

susana disse...

Ora, é uma coisa que andas a evitar definir :p [estou a brincar, mas pode ser que evolua para qualquer coisa maior, ou pode ser que seja apenas o que é agora - o que interessa é ser feliz].