domingo, 26 de fevereiro de 2012

A pilha de roupa

Engomada, começava a acumular-se no meu quarto quando eu decidi que estava na altura de arrumá-la, mas, quando o fui fazer, e para surpresa de todos, constatei que não havia espaço nas gavetas, nem para mais uma camisola. Resolvi o problema deixando a roupa no sítio onde estava: cadeira do quarto. No dia seguinte chego a casa e a minha mãe diz-me que tinha andado a arrumar a minha roupa, foi logo coisa para me arregalar os olhos. E ela: tem calma, [eu já a arfar] vou dizer-te o que fiz e só depois vais ver, que não quero que te ponhas aos berros e ainda nem abriste as gavetas. Lá me explicou tudo - comigo toda nervosa só te pensar que me tinha virado o armário do avesso e que agora ia demorar horas a encontrar o que queria, que já nada estava pela minha lógica e coisas que tais - e eu fui ver o resultado, tentando manter a calma, mas nem havia motivos para tal, estava tudo no sítio e ainda melhor, tudo direitinho e com espaço para tudo. E eu já a pensar que ia ter que arranjar maneira de meter um novo armário no quarto ou comprar umas caixas e tentá-las pôr num qualquer espaço do armário já existente. Nada disso, afinal, só preciso de uma mãe. Ainda bem.

3 comentários:

Susana disse...

Também me dei conta de que não tenho espaço para mais nada, há dias em que tenho de inventar espaço ou mesmo tirar quase o ar todo que haja disponível numa gaveta, fico coma roupa toda prensada para caber. Só que depois arrumo tudo e pronto, que já deixei de precisar da mãe para isso, nem podia precisar :p

Danii disse...

já eu, preciso de roupa! as minhas gavetas, das poucas que tenho, estão praticamente vazias! :x

Abby Richter disse...

quero uma mãe como a tua :D

(novo blog)